sexta-feira, 16 de julho de 2010

Meu namorado imaginário


Chega sem bater,me beija sem pedir,nosso diálogo só a gente entende,é no olhar.
Quando acordo e vejo o travesseiro ao meu lado ,sem ele,sinto seu cheiro e isso é arrebatador,é uma droga que me deixa alucinado,os nossos momentos se passam em flashes.
Sem pudor me beija ,e eu sem pudor me redescubro.
Com ele as conversas fluem,conseguimos achar o útil até nas coisas mais inúteis ditas.
E quando o tédio bate,adivinha pra quem eu ligo?
Com ele consigo ter um mundo menos certo,descobri que o incerto é encantador.
E quando em um dia chuvoso deitamos na grama molhada,e uma lágrima rola em minha face,ele pergunta:
-O que houve,amor?
-Medo.
-Medo de que?
Medo de tudo acabar,sei lá,não quero que acabe.
Ele me olha atônito,me beija e diz:
-Eu te amo,e ninguém muda isso!
Ali,naquele momento,poderia iniciar a 3ª guerra mundial,eu estaria com ele,estaria feliz.
Vinho,assuntos polêmicos discutidos entre duas pessoas,duas opiniões,várias versões,tudo em uma noite depois de um belo sexo.
Ele tourino,eu sagitariano.
Ele balada,eu casa.
Ele matemática,eu literatura.
Mas quando os dois se juntam,quando os opostos se atraem,quando Báskara se alia a Machado de Assis,descubro que o oposto é apaixonante,o oposto é ele.
Gosto do seu cheiro,gosto do seu beijo,gosto das sua caretas quando fica de mau-humor,e principalmente,gosto do que me torno quando estou com ele.

Nycolas Almeida


**Escrevi esse texto pro concurso 'Meu namorado(a) imaginário,no bog da Lena.
Não sei se vou ganhar,mas gostei da experiencia.

2 comentários:

  1. tomara que vc ganha ta
    gostei do texto prbns.

    ResponderExcluir
  2. ah, que coisa mais linda!
    estou torcendo para que ganhe também! (:

    ResponderExcluir