sexta-feira, 13 de agosto de 2010

Reflexões sem nexo;ou lendo nas entrelinhas das músicas


"Ando devagar

Porque já tive pressa

Levo esse sorriso

Porque já chorei demais
Hoje me sinto mais forte

Mais feliz quem sabeSó levo a certeza

De que muito pouco eu sei

Eu nada sei
Conhecer as manhas e as manhãs

O sabor das massas e das maçãs

É preciso amor pra poder pulsar

É preciso paz pra poder sorrir

É preciso a chuva para florir
Penso que cumprir a vida

Seja simplesmente

Compreender a marcha

Ir tocando em frente
Como um velho boiadeiro

Levando a boiada

Eu vou tocando os dias

Pela longa estrada

Eu sou

Estrada eu vou
Conhecer as manhas e as manhãs

O sabor das massas e das maçãs

É preciso amor pra poder pulsar

É preciso paz pra poder sorrir

É preciso a chuva para florir"

*

*

Eu particulamente amo essa composição do Amir Sater,porque a letra dela é tão ambigua,me prende completamente.

A música tocada nos remete ao sertão,a vida sofrida das pessoas.Mas também é dito nas entrelinhas ,como as coisas simples são apaixonantes.

*

*

Porque hoje,definitivamente e sem hipocrisias,descobri que é preciso assassinar para ser feliz,para se respeitar.

Porque agora com vários livros ao meu redor,tomando um capuccino,de súbito me veio a mente "não perdemos o que nunca tivemos",não preciso carregar a culpa de um assassino,assassinei os meu almejos.

Afinal,como diz Almir,é preciso chuva para florir(estava tudo florido,mas a chuva nunca existiu.).

.

Um comentário: